quarta-feira, 10 de julho de 2013

Padrões basais e o ciclo menstrual

No primeiro mês em que usei a bomba de infusão de insulina de forma definitiva, não demorei muito para fixar os meus padrões basais, pois já havia experimentado algumas opções durante o mês do teste-drive. Assim, após uma semana de instalação da bomba, minha glicemia já se encontrava bastante estável em todos os períodos do dia.

Mas, chegando ao fim do mês, sem qualquer mudança no meu regime alimentar ou nas condições de exercícios físicos ou stress, percebi que meus índices de glicemia começaram a subir repentinamente. Então, aumentei minhas doses basais para compensar a mudança do comportamento do meu organismo. Alguns dias depois, entretanto, os meus índices glicêmicos começaram a cair, então tive que retornar ao padral basal anterior.

Passado este primeiro mês, o mesmo fenômeno ocorreu no segundo mês, por volta de 20 dias depois da última alteração do padrão basal. Mais uma vez tive que subir as doses para corrigir as hiperglicemias, e alguns dias depois voltar a baixá-las em função das hipoglicemias. 

Observando as datas em que as elevações e as quedas ocorreram nos dois meses, e comparando essas datas com o meu ciclo menstrual, reparei que a elevação ocorrera por volta do vigésimo dia, e a queda quase sempre no primeiro dia, no mesmo dia em que descera a menstruação.

Conversando com o meu endocrinologista, ele me explicou que, em algumas diabéticas, a produção de progesterona pode tornar o organismo da mulher resistente à insulina, resultando em níveis de glicose no sangue mais elevados. Assim, quando o organismo produz este hormônio em doses maiores, a mulher precisa de uma dose maior de insulina para controlar a glicemia; produzindo em doses menores, a necessidade de insulina também é menor.

Até o vigésimo dia do ciclo menstrual, aproximadamente, a concentração de progesterona no corpo da mulher é de 0.10 - 1.60 ng/mL (fase folicular). Depois do vigésimo dia (fase lútea), a concentração passa a ser de aproximadamente 2.50 - 32.0 ng/mL, ou seja, praticamente dobra. Assim, se o corpo da mulher diabética for sensível a essas alterações, será necessária a adequação das doses basais de acordo com o período do ciclo menstrual.

Para não precisar modificar os padrões basais a cada mudança do meu ciclo menstrual, estabeleci juntamente com o meu médico um padrão basal alternativo (padrão basal A), para os dias em que meu corpo está produzindo mais progesterona, deixando o padrão standard para o resto do mês. Tenho ainda um padrão B, para fins de semana durante o período de maior concentração de progesterona.
Assim, quando a minha glicemia começa a subir perto da 3a semana do ciclo menstrual, altero para o padrão basal A. Aproximando-se do fim do ciclo menstrual, se a minha glicemia já começa a baixar, retorno ao padrão standard.

Nenhum comentário: