quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Ministro da Saúde faz teste de glicemia em apoio à campanha de prevenção no Dia Mundial do Diabetes - 14 de novembro

Hoje, dia 14 de novembro, é o Dia Mundial do Diabetes. Não é exatamente uma data comemorativa, mas uma data para alertar o mundo sobre os riscos da doença mal tratada, e difundir informações para que seus portadores tenham condições melhores de se cuidar, e para que os possíveis casos futuros possam ser retardados ou até mesmo evitados.

Segundo as Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2013/2014 (Epidemiologia e prevenção do diabetes mellitus), uma epidemida de diabetes mellitus (DM) está em curso. Em 1985, estimava-se haver 30 milhões de adultos com DM no mundo; esse número cresceu para 135 milhões em 1995, atingindo 173 milhões em 2002, com projeção de chegar a 300 milhões em 2030. Cerca de 2/3 desses indivíduos com DM vivem em países em desenvolvimento, onde a epidemia tem maior itensidade, com crescente proporção de pessoas afetadas em grupos etários mais jovens (...)

No Brasil, no final da década de 1980, estimou-se a prevalência de DM na população adulta em 7,6%; dados mais recentes apontam para taxas mais elevadas, como 13,5% em São Carlos-SP e de 15% em Ribeirão Preto-SP.

(...)

Os custos do DM afetam o indivíduo, a família e a sociedade, porém não são apenas econômicos. Os custos intangíveis (p. ex., dor, ansiedade, inconveniência e perda de qualidade de vida) também apresentam grande impacto na vida das pessoas com diabetes e seus familiares, o que é difícil de quantificar.

(...)

Combinando as estimativas para 25 países latino-americanos, calcula-se que os custos decorrentes da perda de produção pela presença de DM podem ser cinco vezes maiores que os diretos. Esse fato se deveria ao acesso limitado à boa assistência à saúde, com conseqüente elevada incidência de complicações, incapacitações e morte prematura.

Prevenção efetiva também significa mais atenção à saúde de forma eficaz. Isso pode ocorrer mediante prevenção do início do DM (prevenção primária) ou de suas complicações agudas ou crônicas (prevenção secundária).

Tendo em vista as estatísticas em relação aos casos de diabetes, campanhas de conscientização e orientação são essenciais, como forma de prevenir os casos futuros da doença, e como forma de orientar os casos presentes.

Desde meados deste ano de 2013, entidades envolvidas com o cuidado do diabetes vinham pensando em formas de chamar a atenção da população brasileira para o assunto, recorrendo apenas a inciciativas privadas para atingir este objetivo. Esqueceram-se que campanha de prevenção também é uma questão de saúde, e que saúde é direito de todo cidadão brasileiro e dever do Estado (artigo 196, da Constituição Federal).

O artigo 198 da Constituição Federal, em seu inciso II, afirma que:

"Art. 198. As ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e constituem um sistema único, organizado de acordo com as seguintes diretrizes:

I - (...)

II - atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos serviços assistenciais;"

Observando a tíbia campanha do Dia Mundial do Diabetes da iniciativa privada, e menção singela do Ministério da Saúde sobre a data no ano de 2012, nós diabéticos do grupo Blogueiros de Diabetes, pensamos numa forma de dar visibilidade à comemoração com participação do Poder Público, que é o responsável legal pela obrigação de difundir as formas de prevenir o diabetes.

Assim, quando vimos que o Presidente de Uganda havia se submetido a um teste de HIV em público para alertar os ugandenses sobre a doença, pensamos: por que não fazer o mesmo em relação ao diabetes? Por que não pedir (porque o povo tem que saber que tem voz ativa) ao Ministro da Saúde e à Presidenta do Brasil que façam o teste de glicemia no Dia Mundial do Diabetes? Um gesto simples, mas que diz muito, pois são os chefes máximos da pasta da saúde e do Executivo colocando-se no lugar de cada um nós brasileiros diabéticos que convivemos todos os dias com a doença, e com as dificuldades que o diabetes nos traz.

Partindo da iniciativa do Presidente de Uganda, lançamos na terça-feira 12/11 o twitaço "Na ponta do dedo, o sangue pelo Brasil", enviando mensagens via twitter ao Ministro da Saúde e à Presidenta Dilma Rousseff, pedindo que fizessem o teste de glicemia em público, como forma de alertar o país sobre o crscimento do número de diabéticos brasileiros.

Embora o Ministro da Saúde seja conhecido por sempre responder às mensagens que lhe são enviadas via twitter, nossas expectativas não eram muito grandes, tendo em vista a proximidade da data, e a agenda de Alexandre Padilha, repleta de compromissos.

Até ontém, não havíamos recebido resposta. Fui dormir desanimada, pensando que eu, muitas vezes, obrigada a fazer o teste de glicemia, conseguia parar por 5 minutos para realizar o teste da ponta do dedo, mesmo antes de uma audiência no Fórum, pedindo autorização ao Juiz. Se eu, uma simples advogada, consigo fazer isso, os chefes máximos da pasta da saúde e do Executivo também conseguem.

Felizmente hoje, quando acordei, verifiquei na minha caixa de e-mails que o Ministro da Saúde fez o teste de glicemia pela manhã, apoiando o Dia Mundial do Diabetes, e enviou fotos do teste pelo twitter. O Ministro deu o sangue da ponta do dedo pelo Brasil! Lindo demais!

Agora o twitaço continua para que a Presidenta Dilma Rousseff siga o o Ministro da Saúde: queremos ver @dilmabr fazendo o teste de glicemia hoje, Dia Mundial do Diabetes. #FazDilma!

Este é o SUS que queremos: com participação popular, universal, e para o bem de todos!







3 comentários:

Rosana disse...

Excelente esta iniciativa e deveria também ser levada aos ambientes de trabalho. Quando chega o período de vacinação da H1N1 há empresas que orientam e estimulam a pessoa ser vacinada, sendo importante começar a divulgar e estimular a realização do exame de glicemia para verificar se está com diabetes ou não. Excelente o exemplo do Ministro da Saúde.

Rosana disse...

Excelente esta iniciativa e deveria também ser levada aos ambientes de trabalho. Quando chega o período de vacinação da H1N1 há empresas que orientam e estimulam a pessoa ser vacinada, sendo importante começar a divulgar e estimular a realização do exame de glicemia para verificar se está com diabetes ou não. Excelente o exemplo do Ministro da Saúde.

Debora Aligieri disse...

Rosana. O grupo de que faço parte, Blogueiros de Diabetes, tem um projeto em andamento para tornar o teste de glicemia obrigatório em atendimentos em hospitais e prontos-socorros, para o diagnóstico de diabetes antes do atendimento, para evitar que seja ministrado soro glicosado em pessoas que desconhecem a condição. Mas não havíamos pensado ness hipótese, de ampliar a campanha para aos ambientes de trabalho. Uma excelente idéia, que podemos tentar implementar para o próximo ano. Grata pela sugestão! E o exemplo do Ministro foi demais mesmo! Ficamos muitos felizes com a adesão dele à nossa campanha. Abraços.