quinta-feira, 16 de abril de 2015

PCDT de Infecções Sexualmente Transmissíveis em consulta pública

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) abriu consulta pública para Atualização do PCDT de Infecções Sexualmente Transmissíveis: http://www.conitec.gov.br/index.php/consultas-publicas

O relatório está disponível no site do Conitec para contribuições: http://www.conitec.gov.br/images/Consultas/Relatorios/2015/Relatorio_PCDT_IST_CP.pdf   
 
O prazo da consulta é de 09 a 20 de abril.
 
Foi conduzida uma avaliação de eficácia, segurança e impacto orçamentário pela Secretaria-Executiva da CONITEC para a incorporação dos medicamentos sem correspondência na RENAME: Ceftriaxona 500mg injetável para o tratamento da gonorréia resistente à ciprofloxacina e para o tratamento da sífilis; Doxiciclina 100mg comprimido para o tratamento da sífilis, donovanose e clamídia. Para os demais medicamentos, recomendou-se a opção disponível na RENAME que apresenta eficácia equivalente.
 
Em relação aos testes diagnósticos, constatou-se a necessidade de atualizar as opções disponíveis contemplando métodos mais eficientes, especialmente por demandarem infraestrutura mais simples, rapidez do resultado e por favorecerem a ampliação do acesso. Assim, os testes sorológicos não treponêmicos para o diagnóstico da sífilis RPR (Rapid Plasma Reagin) e TRUST (Toluidine Red Unheated Serum Test); e os testes treponêmicos para o diagnóstico da sífilis EQl (Ensaio imunológico com revelação eletroquimioluminescente) e ELISA (Enzyme Linked Immuno Sorbent Assay) foram considerados para incorporação em igualdade de condições com os respectivos testes VDRL e TPHA, constantes da tabela do SUS.
 
O PCDT completo e as propostas de incorporação dos medicamentos e testes diagnósticos foram submetidos à avaliação pelo Plenário da CONITEC, que no dia 02 de abril de 2015, em sua 34ª Reunião, deliberou favoravelmente às incorporações. Dessa forma, todos os recursos necessários à atenção integral às pessoas com infecções sexualmente transmissíveis passarão a ter acesso garantido no Sistema Único de Saúde.
 
Fonte: CONITEC 
 
 

Nenhum comentário: